sexta-feira, 30 de outubro de 2009

WIKIPEDIA,DIVULGAÇÃO, BLOGOSFERA, DRUMMOND, MARCELO ROQUE E UM TOQUE SUTIL: GLÓRIA KREINZ DIVULGA


"espero-te,
ainda que nunca me ouças chamar,
e ainda que nunca tenhas partido"
Marcelo Roque

ATÉ A WIKIPEDIA RECONHECE.CONFORME DISSE EM TEXTO SOBRE O POEMA "VERDADE" DE CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE, O GRANDE PROBLEMA DA BLOGOSFERA É O DA COMUNICAÇÃO DO SÉCULO 21.TEM QUE SER ÚNICA NO QUE COMUNICA, NO MEIO DO BURBURINHO QUE SE ALASTRA, PARA NÃO SE TORNAR RUÍDO...SÓ ASSIM A INTERVENÇÃO ADQUIRE UMA IDENTIDADE NO MEIO DA MULTIDÃO DE CLONES. EVITA A REPETIÇÃO QUE ALERTAVA JEAN BAUDRILLARD...

PORÉM ISTO É PARA AQUELES QUE SÃO AUTÊNTICOS, E A DIFERENÇA, MESMO NA BLOGOSFERA, SE IMPÕE E REALÇA A DIFERENÇA,COMO O POEMA DE DRUMMOND CITADO NA POSTAGEM ABAIXO.
MAS TEMOS QUE FAZER JUSTIÇA. HÁ OUTROS POEMAS BRILHANTES E MARCELO ROQUE NOS DEU UM BELO EXEMPLO NO POEMA "ESPERO-TE", QUANDO FALOU DO SILÊNCIO DE QUEM ESPERA, AMANDO...

É TALVEZ A MAIS DIFÍCIL CONDIÇÃO NO ATO DE AMAR...DECLARAR E VIVER O AMOR É FÁCIL...GUARDÁ-LO EM SEU SILÊNCIO TORNA O MOMENTO UNIVERSAL, DIGNO DOS GRANDES AUTORES QUE JÁ FALARAM DO TEMA. AINDA MAIS NA BLOGOSFERA.

VALE A PENA PENSAR SOBRE O POEMA E COMPARÁ-LO COM "VERDADE" DA POSTAGEM ABAIXO.DOIS GRANDES MOMENTOS TEXTUAIS DA COMUNICAÇÃO NA BLOGOFESRA. E SÓ PRECISOU DE PALAVRAS, POETAS, E A MAGIA DO LUGAR "ENTRE" FULGURANDO ENTRE AS LETRAS...PROVA DE QUE A BLOGOSFERA E O TEXTO ESCRITO CONVIVEM EM PLENITUDE QUANDO SÃO BONS.QUALQUER TOQUE MENOS SUTIL PODE ATRAPALHAR...HEIDEGGER JÁ SABIA DISSO...

GLÓRIA KREINZ.

ESPERO-TE
Amo-te em cada beijo que não te dou,
em cada olhar que perco por sobre as nuvens,
e em cada verso que me escapa por entre os dedos
Amo-te nos gritos do meu silêncio,
nas noites que não têm fim,
e em cada lágrima que teima em não cair
Amo-te nas lembranças que já nem me lembro,
nas cinzas de todas as horas,
e nas dores que irei sentir
Amo-te assim feito um louco,
e feito louco,
busco-te ferozmente em cada palavra,
em cada objeto,
em cada mísero grão de tempo
Amo-te, e por amar-te tanto,
espero-te,
ainda que nunca me ouças chamar,
e ainda que nunca tenhas partido
Marcelo Roque

VERDADE - CARLOS DUMMOND DE ANDRADE
A porta da verdade estava aberta,
mas só deixava passar
meia pessoa de cada vez.

Assim não era possível atingir toda a verdade,
porque a meia pessoa que entrava
só trazia o perfil de meia verdade.
E sua segunda metade
voltava igualmente com meio perfil.
E os meios perfis não coincidiam.

Arrebentaram a porta. Derrubaram a porta.
Chegaram ao lugar luminoso
onde a verdade esplendia seus fogos.
Era dividida em metades
diferentes uma da outra.

Chegou-se a discutir qual a metade mais bela.
Nenhuma das duas era totalmente bela.
E carecia optar. Cada um optou conforme
seu capricho, sua ilusão, sua miopia.

CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE video

Nenhum comentário:

Postar um comentário